Definição

  • O programa “Recuperação de Sequelas Pós – AVC” surge pelo facto das doenças cardiovasculares serem as doenças com maior incidência em todo o Mundo e os AVC’s se incluírem nestas.
  • Porque os AVC’s são a primeira causa de morte em Portugal.
  • Porque para os sobreviventes resultam quase sempre sequelas bastante incapacitantes e limitativas, obrigando a uma dependência que se pretende minimizar ou mesmo anular com este programa.
  • Verificar-se cada vez mais em pessoas de idades mais jovens, e da necessidade de as devolver rapidamente a uma vida activa.
  • É um programa inovador, e de elevada eficácia.
  • Porque todos os tratamentos que se conhecem em Portugal na recuperação destes doentes são, sob o ponto de vista terapêutico, manifestamente insuficientes para a expectativa da esmagadora maioria dos doentes e seus familiares.

Objectivo

  • O programa “Recuperação de Sequelas Pós – AVC”, pretende de forma rápida e eficaz, devolver à sociedade os doentes acometidos de AVC, que mantêm incapacidades resultantes das suas sequelas. Com uma duração de 22 meses e de acordo com o nível de evolução do paciente, o programa comporta 3 fases ajustáveis a cada caso.
  • Por um período inicial considerado de crucial e intensivo (Fase I) com duração de 30 dias, em regime de internamento, os doentes são integrados num programa personalizado de recuperação em que, ao longo do dia são trabalhados de forma intensiva, alternando terapias de maior exigência física com outras mais relaxantes, mas não menos eficazes.
  • Fase II é executada na residência do paciente, com uma duração de 9 meses.
  • Fase III, considerada de manutenção/consolidação, tem uma duração de 12 meses.

Funcionamento

Os doentes são submetidos a uma consulta onde é feita uma avaliação do seu estado de saúde, extensão da lesão neurológica e prescrição do tratamento adaptado ao seu caso pessoal.

Será dada uma explicação detalhada do programa.

Depois de preenchida toda a documentação, ser-lhe-á apresentada a equipa técnica com a qual vai interagir durante o período de tratamento.

Prática Clínica

Após estabilização em meio hospitalar, o doente se estiver dentro dos parâmetros exigidos para admissão ao programa, é avaliado pela equipa clínica na denominada consulta de admissão, resultando daqui uma personalização do tratamento a administrar (Fase I).

O Programa “Recuperação de Sequelas Pós – AVC”, não se esgota nesta fase de início. Apenas é mencionada por ser a fase de eleição, pois a precocidade com que se inicia é muito importante.

De qualquer forma não se excluem os outros doentes pelo facto de terem sido vítimas da doença há mais tempo.

Sabemos no entanto que todos os casos iniciados antes dos dois primeiros anos subsequentes ao AVC, terão sempre mais hipóteses de obterem uma resposta mais eficaz e em menos tempo.

A partir dos dois anos, as respostas são sempre mais limitadas e imprevisíveis, mas apraz-nos realçar o facto de mesmo assim se obterem resultados, quando estes já se poderiam considerar “uma miragem”.

Local

Este programa pode ser realizado em Lisboa/Alfragide na AFID.

O fisioterapeuta actua na identificação, prevenção, recuperação, reeducação, habilitação e reabilitação de incapacidades originadas por disfunções físicas, do foro funcional músculoesquelético, cardiovascular, respiratório e neurológico entre outros, e disfunções psíquicas, com o objectivo de desenvolver a máxima funcionalidade e qualidade de vida, concebendo programas, seleccionando, planificando e utilizando técnicas, modalidades educativas e terapêuticas específicas baseadas no movimento, nas terapias manipulativas e meios físicos e naturais, escolhidas a partir da análise e avaliação do movimento e da postura.

O médico de clínica geral tem o papel de fornecer todo o apoio clínico possível ao doente e cuidador/família. O médico de clínica geral cumpre uma função particular de supervisão, prevenção e acompanhamento do estado clínico do doente nas suas diferentes áreas, para que, dependendo da necessidade, o encaminhe para a especialidade correspondente ao problema associado.

A medicina física e de reabilitação pretende tratar ou atenuar as incapacidades causadas por doenças crónicas, sequelas neurológicas ou lesões derivadas da gestação e do parto, acidentes de trânsito e de trabalho.

O que é a reabilitação?

É um processo global e dinâmico orientado para a recuperação física e psicológica da pessoa portadora de deficiência, tendo em vista a sua reintegração social.

Está associada a um conceito mais amplo de saúde, incorporando o bem-estar físico, psíquico e social a que todos os indivíduos têm direito.

Em que situações é necessária a medicina física e de reabilitação?

Doenças crónicas: Nas sociedades modernas, a melhoria das condições de vida, os avanços médico-cirúrgicos e a promoção e a generalização dos cuidados de saúde levaram ao aumento da longevidade e, como tal, ao progressivo crescimento do número de idosos. Paradoxalmente, ampliou-se, a par do aumento da esperança de vida, o número de doenças crónicas, frequentemente incapacitantes.

Sequelas neurológicas ou lesões derivadas da gestação e do parto: Os progressos na protecção materna e infantil permitem, hoje em dia, por seu turno, salvar crianças que sobrevivem com graves sequelas neurológicas ou outras lesões.

Acidentes de trânsito e de trabalho: A evolução tecnológica e as alterações nos estilos de vida têm levado ao surgimento de um elevado número de deficientes, vítimas de acidentes de trânsito, de trabalho e de doenças cardiovasculares, em idades cada vez mais jovens e produtivas.

A Terapia Ocupacional é o tratamento de condições de saúde que afectam o desempenho das pessoas em qualquer fase da vida através do envolvimento em actividades significativas, com o objectivo de lhes proporcionar o seu máximo nível de funcionalidade e de independência nas ocupações em que desejam participar.

O Terapeuta Ocupacional avalia as funções sensoriais, perceptivas, físicas e sociais do indivíduo, bem como os factores ambientais que influenciam o seu desempenho nas actividades; identifica as áreas de disfunção e envolve o indivíduo num programa estruturado de actividades significativas de forma a ultrapassar as dificuldades proporcionadas pela sua condição de saúde. As actividades seleccionadas são-no de acordo com as necessidades pessoais, sociais, culturais e económicas e reflectem os factores ambientais que orientam a vida do indivíduo.

A acupunctura é um ramo da Medicina Tradicional Chinesa e um método de tratamento considerado complementar de acordo com a nova terminologia da OMS – Organização Mundial da Saúde.

A acupunctura consiste na aplicação de agulhas, em pontos definidos do corpo, chamados de “Pontos de Acupunctura” ou “Acupontos”, para obter efeito terapêutico em diversas condições.

Os pontos e meridianos também podem ser estimulados por outros tipos de técnicas. Na verdade, os pontos de Acupunctura podem ser estimulados por: agulhas, dedos (acupressão) caracterizando distintas variantes da técnica de massagem chinesa (tui na, shiatsu (japonês), do-in); ventosa (embora seja uma aplicação em diversos pontos simultâneos) ou pelo aquecimento promovido por moxa – um bastão de artemísia em brasa, que é aproximado da pele para aquecer o ponto de acupunctura. Há, também, o método de estimulação por laser.

Fitoterapia significa tratamento com plantas.

O exercício da Fitoterapia Chinesa exige um conhecimento profundo da Medicina Chinesa, pois a sua acção é energética, e como tal aplica-se o mesmo raciocínio que na Acupunctura.

É administrada em fórmulas compostas por 3 a 40 plantas, em que uma ou duas produzem o efeito terapêutico desejado e uma outra quantidade de plantas eliminam quaisquer efeitos indesejáveis.

Regra geral em Fitoterapia Ocidental utilizam-se plantas de forma isolada.

Na Fitoterapia Chinesa, as fórmulas são equilibradas, contando algumas com milhares de anos de utilização, produzem efeitos terapêuticos com segurança e a garantia de não terem efeitos secundários ou outras formas de toxicidade para o organismo.

A massagem para pacientes acometidos por Acidente Vascular Cerebral (A.V.C.), traz para o paciente muitos benefícios.

Nesta técnica são utilizados trabalhos de alongamento e flexibilidade para melhorar as áreas enrijecidas e sob tensão. A utilização desta terapia trata nódulos e contracturas na musculatura, promovendo o alívio das dores e o relaxamento. São utilizadas também técnicas de drenagem linfática para o tratamento dos edemas auxiliando na melhoria da circulação sanguínea, na diminuição do inchaço, e assim sendo contribuindo para a melhoria na amplitude dos movimentos perdidos.

Alguns dos benefícios da massagem no âmbito do nosso Programa de Recuperação de Sequelas Pós – AVC:

  • Alívio das dores
  • Diminuição dos edemas
  • Melhora da flexibilidade
  • Melhora da circulação sanguínea
  • Aumento na auto-estima
  • Melhora dos movimentos em geral

O efeito da terapia de som

Se deixarmos cair uma pedra num lago, surgirão ondas concêntricas que se alastram a toda a superfície aquática. Cada molécula de água é colocada em movimento… Com a massagem de som algo de semelhante ocorre no nosso corpo, que é constituído em 80% por água. As vibrações benfazejas transmitem-se ao corpo, espalhando-se em ondas concêntricas: uma massagem reconfortante para cada uma dos 100 biliões de células existentes no corpo – uma massagem celular.

Em medicina, o ozono é produzido a partir de Oxigénio puro, com geradores eléctricos que regulam os níveis de concentração de acordo com os protocolos estabelecidos.

A Ozonoterapia não tem demonstrado efeitos indesejáveis ou danos em toda a documentação revista da literatura Médica até ao presente momento. Pratica-se regularmente na Clínica ambulatória de inúmeros países Europeus (Alemanha, Itália, França, Suíça, Espanha, etc) países latino-americanos, EUA, e outros.

Efeitos terapêuticos do ozono

O Ozono possui propriedades tais como:

  • É um potente analgésico e anti-inflamatório
  • Têm um alto poder bactericida e germicida
  • Regula o stress oxidativo celular (antioxidante, anti radicais livres “free radical scavangers”)
  • Modula a actividade auto imune
  • Aumenta o metabolismo em geral com maior perfusão de O2 nos tecidos.
  • Activa o sistema circulatório.

Efeitos comprovados a nível metabólico:

  • Oxidação das coenzimas NADH e NADPH
  • Oxigenação a nível mitocondrial
  • Aumento do 2,3 difosfoglicerato
  • Oxidação de gorduras insaturadas
  • Hidrosolubilização das gorduras liposoluveis
  • Aumento da granulação e epitelização
  • Oxidação das células tumorais
  • Aumento dos hematocritos
  • Diminuição de VSG
  • Dissolução do colesterol, triglicerideos e outras gorduras
  • Aumento das HDL

Acção Germicida

O Ozono é o melhor germicida natural que se conhece.

Potente efeito bactericida, anti-vírico, anti-fungico, esporos, e em alguns insectos. Esta capacidade germicida, associada ao poder de cicatrização e regeneração dos tecidos, que o converteu num excelente tratamento de feridas durante a 1ª guerra mundial.

Esta qualidade germicida dá-nos uma grande segurança na sua administração, já que não há riscos de sépsis nem infecção local, problemas sempre a ter em consideração, quando se fazem infiltrações de corticóides e/ou juntamente com outros produtos.

Acção Revitalizante

O ozono, utilizado correctamente, pode revitalizar os sistemas de defesa naturais das células, de potenciar a sua função protectora das espécies químicas agressivas e, em particular dos radicais livres.

Esta actividade de excepcional importância é devida principalmente à estimulação dos processos enzimáticos de base que condicionam a correcta nutrição das células, a capacidades de produzir espécies moleculares condicionadas à produção de energia celular, e à melhora das funções gerais das células humanas.

Melhora a circulação sanguínea

Depois do tratamento com ozono, o sangue melhora a sua capacidade para circular através dos micro capilares mais estreitos, melhorando assim a micro circulação.

Para além disso, os eritrocitos desagregados e suavizados são mais capazes para absorver e transferir oxigénio, entre outros factores, pela maior superfície de contacto livre e deformabilidade. A pressão do oxigénio arterial aumenta e a pressão de oxigénio venosa diminui, melhorando a oxigenação celular. Observa-se um aumento no 2,3 DPG (Difosfo Glicerato), o que facilita a troca de oxigénio retido na oxihemoglobina e nos glóbulos vermelhos.

Potenciador do sistema imunitário

Sob o efeito dos metabolitos do O3, evidencia-se um aumento na proliferação e actividade dos linfocitos e macrofagos, assim como aumentos nas interleucinas, citoquinas e imunoglobulinas.

O Papel da Nutrição no AVC

A pessoa com AVC apresenta-se nutricionalmente vulnerável. Os factores nutricionais e alimentares devem ser considerados, já que tanto a sobrealimentação como a desnutrição têm sido documentadas.

A obesidade, particularmente a obesidade abdominal é um factor de risco importante para o AVC, assim como colesterol elevado, a tensão arterial elevada e a diabetes. Uma alimentação equilibrada reduz a probabilidade de desenvolver qualquer uma destas doenças, e quando presentes ajuda a controla-las, contribuindo assim para a diminuição do risco de AVC, ou repetição do mesmo.

Para além da contribuição nos factores de risco do AVC, a nutrição é importante na minimização das alterações de que resultam dificuldades na capacidade de se alimentar.

Relaxamento

A nossa mente está em atividade o tempo todo. O relaxamento serve para observarmos os nossos pensamentos e desacelerá-los conforme a nossa vontade, deixando-os mais leves, tranquilos ou até mesmo cessando-os. Quando paramos a máquina do pensamento, entramos num estado de serenidade e paz.

Relaxar é reduzir drasticamente a atividade muscular, física e psíquica, através de um acto consciente e auto-dirigido.

Benefícios do Relaxamento

O relaxamento auxilia na prevenção dos estados de stress, tensão muscular e fadiga mental. Ele também é considerado um revigorante que actua beneficamente sobre a saúde física, mental e emocional.

Hidroterapia

Na água os pacientes são capazes de mover extremidades através de amplitudes significativamente de maior movimento, fornecendo um benefício de fortalecimento, alongamento e reeducação muscular.

O auxílio da flutuação é útil para ajudar os pacientes a retomar o controlo de padrões de movimento recíprocos rápidos, estas actividades raramente são possíveis em terra. Em razão da boa sustentação que a água proporciona o paciente pode mover-se na água de maneira mais independente, o que oferece benefícios psicológicos incluindo motivação e autoconfiança. Um dos factores mais importantes da hidroterapia para estes pacientes é o fato de que cada movimento realizado dentro da piscina oferece uma resistência de até 60 vezes maior do que no àr. E também a diminuição da acção da gravidade por si só já quebra o padrão espasmódico do paciente.

Terapia da Fala

O Terapeuta da Fala (TF) é o profissional responsável pela prevenção,  avaliação, intervenção, gestão e estudo científico das perturbações da comunicação humana, englobando não só todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita mas também outras formas de comunicação não verbal.

O Terapeuta da Fala intervém, ainda, ao nível da deglutição  (passagem segura de alimentos e bebidas através da orofaringe de forma a garantir uma nutrição adequada), melhorando, assim, a sua qualidade de vida (ASHA, 2007).

Como parte de uma equipa médica, o TF avalia, diagnostica e intervém alterações/deficits de comunicação, de linguagem, fala, motricidade orofacial e de deglutição após um acidente vascular cerebral. O programa de tratamento foca-se em melhorar as capacidades que foram afectadas pelo AVC, dependendo das áreas que são afectadas, visando sempre a máxima funcionalidade e potencialidade do paciente.

No processo de recuperação, o TF poderá ajudá-lo no regresso à sua actividade profissional, adequando o meio, fornecendo estratégias e capacitando os seus colegas. Os pacientes também podem beneficiar de Terapia da Fala no sentido de melhorar o seu discurso (articulação verbal), devido à fraqueza muscular, parésia facial, ou os défices na programação motora que podem ocorrer.

O Terapeuta da Fala avalia também a capacidade de uma pessoa para usar comunicação Aumentativa e Alternativa – dispositivos e técnicas para completar a comunicação verbal quando esta se encontra muito comprometida.

É frequente, como sequela pós-AVC, encontrar alterações na função de deglutição. O TF actua neste âmbito, reabilitando directamente esta função e realizando recomendações que envolvam questões posicionamento, técnicas de alimentação, dieta, modificação de consistência, e a educação da pessoa com AVC, membros da família ou cuidadores.

Psicologia

Dedica-se à prevenção, diagnóstico e tratamento de perturbações emocionais e/ou comportamentais. O objetivo fundamental da intervenção é o alívio do sofrimento e a promoção do bem-estar psíquico numa perspetiva psicológica, biológica e social.

A Neuropsicologia Clínica dedica-se ao tratamento das patologias do sistema nervoso central, estudando as relações entre o Cérebro, o Comportamento e as Funções Nervosas Superiores  (a Memoria, a Atenção e Concentração, a Linguagem, o Pensamento Lógico e Abstrato, o Raciocínio e o Cálculo Mental, a Capacidade de Planeamento e as Funções Executivas),  investigando a relação entre determinada área do Cérebro lesada ou com defeito Funcional e o aparecimento de uma alteração patológica específica do foro Cognitivo, Emocional e/ou  Comportamental da pessoa. Esta consulta é indicada em casos de dificuldades cognitivas, emocionais e/ou comportamentais associadas a condições neurológicas (AVC, TCE, Alzheimer, Parkinson, Esclerose Múltipla, Demências), psiquiátricas ou decorrentes de processos desenvolvimentais, bem como no acompanhamento do envelhecimento cerebral normal, como forma de prevenção e despiste de dificuldades futuras.


Esclerose Múltipla

Esclerose Múltipla

Parkinson

Parkinson

Demência - Alzheimer

Alzheimer